Formulário facilita ação para conseguir auxílio emergencial na Justiça

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

Ferramenta é destinada aos habitantes de Mato Grosso do Sul e de São Paulo

A Coordenadoria dos Juizados Especiais Federais da 3ª Região disponibilizou em sua página um formulário próprio para propositura de ação para reclamar o auxílio emergencial. A ferramenta é destinada às pessoas sem advogado que vivem em Mato Grosso do Sul e São Paulo.

Segundo divulgou o TRF3 (Tribunal Regional Federal de 3ª Região), o objetivo do formulário é facilitar o acesso à Justiça Federal aos que não conseguiram a concessão do benefício via Caixa Econômica Federal e Dataprev (Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência).

Na tela inicial do formulário, o usuário deve escolher o fórum em que pretende ingressar com a ação e marcar a opção “auxílio emergencial” no campo “assunto”. Abaixo, o reclamante deve apresentar breve relato dos fatos e responder questionário.

Caso o pedido pelo auxílio tenha sido negado, o usuário precisa revelar o motivo. As opções aparecem na tela e basta marcar com um “x” no campo correto.

O formulário também conta com espaço para que o reclamante descreve outros fatos que ocorreram ou adicione informações para contestar a negativa do auxílio emergencial.

No campo polo passivo, o autor da ação deve marcar a opção “União”. No pedido, há opção de requerer três parcelas de R$ 600 ou três parcelas de R$ 1.200 (para mulheres chefes de família).

O reclamante deve reunir documentos que comprovem aptidão para receber o socorro do governo federal, bem como RG, CPF, comprovante de residência, extrato do CadÚnico, nome de integrante da família que já recebeu auxílio e CPF, e captura da tela do aplicativo ou site com a resposta ao seu requerimentos, em um documento PDF único, com tamanho máximo de 10 mb. Outros documentos poderão ser solicitados no curso do processo.

É preciso estar cadastrado no Serviço de Atermação Online dos Juizados Especiais Federais da 3ª Região para preencher o formulário com a solicitação.

O TRF3 divulgou vídeo explicativo sobre o serviço. Veja aqui.

Auxílio – O socorro é pago pelo governo federal a desempregados, microempreendedores individuais e trabalhadores informais em situação de vulnerabilidade devido à pandemia de novo coronavírus.

Inicialmente, o programa concede três parcelas mensais de R$ 600 (R$ 1,2 mil para mulheres chefes de família). O governo federal anunciou que a medida deve ser prorrogada.

A Coordenadoria dos Juizados Especiais Federais da 3ª Região disponibilizou em sua página um formulário próprio para propositura de ação para reclamar o auxílio emergencial. A ferramenta é destinada às pessoas sem advogado que vivem em Mato Grosso do Sul e São Paulo.

Segundo divulgou o TRF3 (Tribunal Regional Federal de 3ª Região), o objetivo do formulário é facilitar o acesso à Justiça Federal aos que não conseguiram a concessão do benefício via Caixa Econômica Federal e Dataprev (Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência).

Na tela inicial do formulário, o usuário deve escolher o fórum em que pretende ingressar com a ação e marcar a opção “auxílio emergencial” no campo “assunto”. Abaixo, o reclamante deve apresentar breve relato dos fatos e responder questionário.

Caso o pedido pelo auxílio tenha sido negado, o usuário precisa revelar o motivo. As opções aparecem na tela e basta marcar com um “x” no campo correto.

O formulário também conta com espaço para que o reclamante descreve outros fatos que ocorreram ou adicione informações para contestar a negativa do auxílio emergencial.

No campo polo passivo, o autor da ação deve marcar a opção “União”. No pedido, há opção de requerer três parcelas de R$ 600 ou três parcelas de R$ 1.200 (para mulheres chefes de família).

O reclamante deve reunir documentos que comprovem aptidão para receber o socorro do governo federal, bem como RG, CPF, comprovante de residência, extrato do CadÚnico, nome de integrante da família que já recebeu auxílio e CPF, e captura da tela do aplicativo ou site com a resposta ao seu requerimentos, em um documento PDF único, com tamanho máximo de 10 mb. Outros documentos poderão ser solicitados no curso do processo.

É preciso estar cadastrado no Serviço de Atermação Online dos Juizados Especiais Federais da 3ª Região para preencher o formulário com a solicitação.

O TRF3 divulgou vídeo explicativo sobre o serviço. Veja aqui.

Auxílio – O socorro é pago pelo governo federal a desempregados, microempreendedores individuais e trabalhadores informais em situação de vulnerabilidade devido à pandemia de novo coronavírus.

Inicialmente, o programa concede três parcelas mensais de R$ 600 (R$ 1,2 mil para mulheres chefes de família). O governo federal anunciou que a medida deve ser prorrogada.

Fonte: CAMPO GRANDE NEWS

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Recentes no Site

Prefeitura de Campo Grande