Jovem picado por cobra naja terá de pagar multa de R$ 61 mil ao Ibama

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

Mãe e padrastro do estudante de veterinária serão multados em R$ 8,5 mil cada. Amigo que dificultou ação de fiscalização terá de pagar R$ 81,3 mil

O estudante de veterinária Pedro Henrique Krambeck, de 22 anos, picado pela cobra naja que criava ilegalmente no Distrito Federal será multado em R$ 61 mil pelo Ibama (Instituto Nacional do Meio Ambiente), por maus-tratos e por manter serpentes nativas e exóticos em cativeiro sem autorização.  A mãe e o padrasto do estudante também serão multados, em R$ 8,5 mil cada, por terem dificultado a ação de resgate.

A polícia  suspeita que Pedro faça parte de uma rede de tráfico internacional de animais. O caso começou a ser investigado após o acidente. Pedro recebeu alta na segunda-feira (13), após ficar internado em estado grave. A suspeita é de que o jovem criava o animal em casa ilegalmente.

O Ibama e a polícia foram até a residência do pai do amigo da vítima da naja, no Guará (DF), onde apreenderam uma jiboia arco-íris (que pertencia à vítima), peles de jiboia e de cobra surucucu, penas de arara canindé e carapaça de tatu. A investigação apontou que o homem tem participação nos fatos. As multas imputadas a ele vão chegar a R$ 33.500.

O caso da naja levou o Ibama a uma grande operação em busca de animais exóticos criados ilegalmente no Distrito Federal. Em dez dias, 32 serpentes foram resgatadas. Também outros animais exóticos também foram localizados, como tubarões e lagartos.

Fonte: R7

Uma mulher que criava uma cobra jiboia, em Samambaia (DF), decidiu entregá-la voluntariamente ao Ibama, que foi até à residência para buscar o animal. Ela não foi penalizada, já que entregou a serpente de forma espontânea.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Recentes no Site

Prefeitura de Campo Grande