Conecte-se conosco
PUBLICIDADE

Justiça

Paraguai não acha provas contra Ronaldinho e ex-jogador pode ser inocentado

Publicado

em

No entanto, ex-craque teria que pagar imposto de R$ 489 mil ao país vizinho

A Promotoria Geral do Paraguai afirmou que não encontrou elementos suficientes para comprovar que o ex-jogador, Ronaldinho Gaúcho, participou diretamente no planejamento de documentos irregulares. Os documentos foram usados pelo ex-jogador e o irmão, Roberto de Assis, para entrar no país vizinho, no último dia 4 de março.

Sem comprovações. os dois ficam livres da responsabilidade de ter domínio e decisão sobre o uso dos documentos, de acordo requerimento conclusivo de promotores. Caso o juiz aceite o argumento, Ronaldinho e o irmão poderão voltar ao Brasil.

Quem estuda o pedido da promotoria paraguaia é o juiz Gustavo Amarilla. Mesmo assim, o Ministério Público do Paraguai solicitou que Ronaldinho pague cerca de R$ 489.359,25 para reparar os danos causados pelo uso de documentos irregulares. Além disso, o ex-jogador deverá morar definitivamente no Brasil e compareça 

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Facebook