Conecte-se conosco
PUBLICIDADE

Campo Grande

Peixe do Aquário do Pantanal pode morrer afogado; entenda

Publicado

em

Parece piada, mas não é. O Aquário do Pantanal, ou Bioparque, tem um peixe que pode morrer afogado. O fato curioso foi revelado pelo próprio ponto turístico: trata-se do Piramboia, um peixe que possui pulmão, também conhecido como peixe-cobra.

“Apesar do formato confundir com uma cobra, a Piramboia é um peixe ósseo pulmonado. Isso significa que ele respira através de pulmões primitivos e precisa subir à superfície da água em busca de oxigênio”, esclarece o Bioparque.

Conforme o grande Aquário que fica nos altos da avenida Afonso Pena em Campo Grande, o Piramboia é considerado um fóssil vivo “por ser a possível transição entre os peixes e anfíbios, apresentando tanto a respiração branquial como a pulmonar em diferentes fases da vida”.

1 3 1 - Peixe do Aquário do Pantanal pode morrer afogado; entenda
Piramboia em seu tanque no Bioparque – (Foto: Bruno Rezende)

Ao todo, o Bioparque conta com seis peixes desta espécie. Cinco deles estão vivendo no tanque “Peixe Elétrico” e um mora no tanque “Veredas”. A presença do enigmático ser aquático que incrivelmente pode morrer afogado por ter pulmões ocorre principalmente na Amazônia, onde foi encontrado pela primeira vez no século 19.

Segundo informação divulgada pelo ponto turístico sul-mato-grossense, em tradução literal, Piramboia significa peixe-cobra na língua dos povos indígenas da região amazônica.

“Ao serem identificados pulmões, os cientistas pensaram que se tratava de um anfíbio, por isso o nome científico Lepidosiren paradoxa (salamandra escamosa paradoxal), sendo “paradoxal” referente à aparência de uma salamandra coberta por escamas de peixe, o contrário do esperado”, esclarece a Revista Ciência Hoje sobre o “Enigma da Piramboia”.

- Peixe do Aquário do Pantanal pode morrer afogado; entenda
Piramboia, o peixe com pulmão

“Alguns anos depois, com a teoria da evolução de Darwin e muitos estudos, foi possível afirmar que a Piramboia na verdade se tratava de um peixe que, na linha evolutiva, é parente próximo dos ancestrais dos primeiros anfíbios”, conclui a publicação do Aquário que revela a ilustre presença deste animal no local.

Já conheceu está espécie que pode morrer afogada? Ou ficou com vontade? A agenda de julho para visitar o Bioparque Pantanal já está esgotada e as oportunidades para conhecer o local em agosto ainda não foram abertas.

Fonte: midiamax

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Facebook