Homem é preso após ameaçar matar e beber sangue de mulher e filho de 9 meses

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

A Polícia Militar prendeu um jovem de 21 anos que ameaçou matar a esposa e o filho, de 9 meses e beber o sangue dos dois, em Campo Grande. Alterado, o suspeito quebrou todos os móveis da casa, ameaçou a vida dos policiais e gritou que “estava possuído pelo capeta”. O caso aconteceu na madrugada de segunda-feira (7), no Jardim Tijuca.

Em depoimento, a vítima contou que o marido chegou em casa por volta das 3 horas, já alterado e afirmou que mataria a mulher e o filho de 9 meses, depois beberia o sangue dos dois. Diante das ameaçadas, a mãe adotiva da vítima, que também estava na casa, pegou o neto e se trancou em um dos quartos.

A mulher não conseguiu se esconder a tempo. Foi empurrada e pressionada contra a parede pelo marido, enquanto as ameaças de morte eram repetidas várias vezes. O homem só soltou a vítima para destruir os móveis da casa. Com socos e chutes eles estilhaçou janelas e portas. Durante o surto cortou os braços, as pernas e o rosto.

Quando os policiais da 10ª CIPM (Companhia Independente da Polícia Militar) chegaram ao local, encontraram o homem já do lado de fora da casa. Alterado, ele gritou que mataria os militares e “foi para cima” deles. Reforço foi chamado e outras duas equipes foram a residência, mas ainda assim as ameaças de morte continuaram.

O homem resistiu à prisão, não obedeceu às ordens policiais e foi contido com tiros de bala de borracha. Depois foi imobilizado e algemado. Durante todo o tempo, ele gritava que estava possuído pelo capeta, que mataria os militares e beberia o sangue deles.

Para os policiais, a vítima contou que namora o rapaz desde 2017 e que a um ano e dois meses mora com ele, mas nunca tinha registrado nenhum boletim de ocorrência contra ele. Desta vez, pediu medido protetiva e o afastamento do marido de casa.

O caso foi registrado criminalmente na Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) como resistência, ameaça e violência doméstica. Em audiência de custódia nesta terça-feira (8) o rapaz teve a prisão preventiva decretada pela justiça.

O pedido de proteção foi analisado e decretado no mesmo dia do crime, na segunda-feira. Na decisão, a juíza Larissa Castilho da Silva Farias proibiu que o autor de aproximasse a menos de 300 metros da vítima, de familiares dela ou testemunha do crime e só levasse de casa o que for se uso pessoal, na presença do oficial de justiça.

(CAMPO GRANDE NEWS)

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Recentes no Site

Prefeitura de Campo Grande