Licitação de R$ 2,4 milhões prevê compra de testes de coronavírus em Campo Grande

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

São 51,6 mil testes rápidos e 120 mil Swab que devem ser distribuídos nas unidades básicas e de emergência

Pregão eletrônico aberto pela Prefeitura de Campo Grande prevê registro de preços para compra de testes de coronavírus, por R$ 2.499.804,00. O aviso da concorrência foi divulgada no Diogrande (Diário Oficial de Campo Grande) desta quinta-feira (13).

Segundo o edital, o teste é para detecção qualitativa de anticorpos IGG e IGM anti Covid-19 em ‘sangue total, soro ou plasma, swab ponta rayon para coleta de material biológica e lancetas descartáveis’. O objetivo é selecionar fornecedoras com menor preço unitário.

As propostas estão previstas para abertura em 20 de agosto,  por meio do site compras.campogrande.ms.gov.br/sgc e a íntegra do edital pode ser conferido no Portal da Transparência, sob o número 105/20.

Ainda de acordo com o documento, a Prefeitura de Campo Grande leva em consideração o aumento “considerável dos casos da doença”, além da existência de outros em investigação e a “possibilidade de superlotação das unidades de saúde”.

Com a testagem da população, a intenção é acompanhar os novos casos, identificar pessoas infectadas e obter informações sobre a evolução da pandemia em Campo Grande, “inclusive quando um limite de imunidade de rebanho foi atingido”. “No caso de Covid-19, estimou-se que 50% a 60% da população precisa estar imune ao vírus para impedir sua propagação”.

Outro fator citado é que, por se tratar de uma doença nova, não há parâmetros para comparação da quantidade que seria necessária para testagem. “Portanto há uma estimativa de cálculo para distribuição considerando a estratégia de descentralização da testagem para as unidades de saúde do município”.

Estão previstos 51.6 mil testes rápidos para detecção qualitativa de anticorpos IGG e IGM em sangue total, soro ou plasma, 120 mil swab de rayon, para coleta de amostras biológicas, além de 51,6 mil lancetas descartáveis.

O total de testes rápidos deve ser usado em dois meses e os SWAB em cinco, em UBS (Unidade Básica de Saúde), UBSF (Unidade Básica de Saúde da Família), UPAs (Unidade de Pronto Atendimento) e CRS (Centro Regional de Saúde), além do polo de atendimento do Parque Ayrton Senna.

Locais onde testes são feitos

Ainda no edital, a Prefeitura de Campo Grande lista as estruturas onde hoje são feitos testes: sistema Drive Thru, em pareceria com a Secretaria de Saúde de Mato Grosso do Sul, polo de atendimento no Parque Ayrton Senna, e duas unidades sentinelas para coleta, uma na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do Coronel Antonino, e outra no CRS (Centro Regional de Saúde) Coophavilla.

Além destes locais, coletas de material são feitas nas ‘demais unidades’ da rede pela URR (Unidade de Resposta Rápida), vinculada ao setor de Vigilância Epidemiológica de Campo Grande. A ideia da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) é descentralizar a testagem para as 71 unidades básicas de saúde e 10 de urgência e emergência.

Fonte: Mídiamax

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Recentes no Site

Prefeitura de Campo Grande