Conecte-se conosco
PUBLICIDADE

Eleições 2020

Marquinhos vai investir no desenvolvimento de meios de produção e potencializar a geração de emprego e renda

Publicado

em

O prefeito Marquinhos Trad (PSD) vai investir no desenvolvimento de meios de produção, potencializando a geração de emprego e renda. As iniciativas de promoção e incentivo à economia produtiva estão previstas no Plano de Governo com 55 metas para a próxima gestão.

Uma das propostas para fomentar e desenvolver o setor econômico é a finalização da construção do Terminal Intermodal de Cargas de Campo Grande (TIC) transformando-o num porto seco como suporte logístico para a Rota Bioceânica, que passa por Mato Grosso do Sul e liga o Brasil ao Chile, via Paraguai e Argentina.

Segundo estimativa da Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul (Fiems), o corredor vai ter potencial para movimentar US$ 1,5 bilhão por ano em exportações de carne, açúcar, farelo de soja e couro para os outros países.

Os polos empresariais e industriais de Campo Grande deverão ser articulados com o Terminal Intermodal de Carga, contribuindo no incentivo e suporte ao escoamento da produção local. A Prefeitura vai viabilizar investimentos para os polos empresariais e implantar o Polo de Tecnologia e Serviços de Campo Grande na região central, o que deve atrair novas empresas.

A ampliação dos serviços itinerantes da Fundação Social do Trabalho de Campo Grande (FUNSAT) e a implantação de uma plataforma digital para agenciamento de empregos e oportunidades de trabalho também estão previstas entre as iniciativas.

Em 2018, a atual gestão lançou projeto destinado a limpeza e sinalização de polos empresariais e industriais. A primeira intervenção aconteceu na região oeste, na saída para Terenos, que à época tinha 46 empresas instaladas em 153 lotes.

Políticas de incentivo foram fortalecidas através da atuação do Conselho de Desenvolvimento Econômico de Campo Grande (Codecon), responsável pela aprovação de 149 novos projetos solicitando benefícios (doação de área ou concessão de incentivos fiscais) através da Lei do Programa de Desenvolvimento Econômico e Social (Prodes).

Com esses projetos, as empresas se comprometeram a manter 2.192 postos de trabalho e criar 3.906 novos empregos, investindo mais de R$ 740 milhões.

Em substituição a atual Lei do Prodes, foi desenvolvido o Programa Municipal de Incentivo e Apoio às Redes de Desenvolvimento Socioeconômico – PRO-REDE, que tem por finalidade promover e impulsionar o desenvolvimento econômico, social, turístico, cultural e tecnológico do município, com vistas à expansão dos negócios para além do mercado local.

Atual gestão criou, em 2018, a Superintendência de Comércio Exterior, iniciando o desenvolvimento de ações visando atração de novos investimentos, financeiros e tecnológicos, para a Capital.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Facebook