Conecte-se conosco
PUBLICIDADE

Eleições 2020

Nelsinho ‘estranha’ rapidez para descartar causa política em tiroteio durante campanha

Publicado

em

Posicionamento foi sobre anúncio de que tiroteio em evento político do PSD não teria conotação política

O senador Nelsinho Trad (PSD), presidente do PSD em Mato Grosso do Sul, acredita que ‘a polícia se manifestou rápido demais’ sobre o tiroteio que matou o tio de um candidato a vereador de Coronel Sapucaia e feriu outros três, durante ato político do partido no domingo (8).

“Parece que é mais importante preservar a candidatura do atual mandatário do que elucidar um crime”, afirmou nesta terça-feira (10). A Sejusp (Secretaria de Justiça e Segurança Pública) afirmou que não se trataria de atentado político, mas sim acerto de conta de organizações criminosas que atuam na região.

Para o senador, a vida pregressa e a situação ‘como um todo’ cabe à polícia investigar e que, apesar de descartar conotação política, a investigação poderia ‘explicar porque os disparos balearam três pessoas, sendo uma delas o esposo da candidata com um tiro na boca, num evento político’. “A polícia se manifestou rápido demais, antes mesmo de identificar os autores”.

Aníbal Ortiz tinha 45 anos e foi morto enquanto participava do evento político do PSD, que tem Cláudia Maciel como candidata a prefeita de Coronel Sapucaia. Ela contou que, dias antes do episódio que matou o apoiador e feriu três pessoas, incluindo seu marido, dois homens em um moto passaram no meio de um evento político do PSD. Segundo Cláudia, eles estavam armados.

Segundo o secretário de Segurança Pública de MS, Antônio Carlos Videira, Ortiz estava foragido porque sabia que corria risco de morte e que, as pessoas que o queriam morto, se aproveitaram que ele estava em um ato político desarmado. A vítima teria envolvimento com tráfico de drogas e pistolagem.

Fonte: Mídiamax

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Facebook