Conecte-se conosco
PUBLICIDADE

Saúde

Atividade física é essencial para pessoas do grupo de risco

Publicado

em

Confira as entrevistas:

A prática da atividade física está relacionada diretamente a melhora da imunidade, principalmente para pessoas do grupo de risco

Uma alimentação saudável, o controle do estresse e a atividade física periódica são alguns dos pontos que auxiliam na construção de uma imunidade forte, capaz de auxiliar no combate a uma possível contaminação pelo novo coronavírus, inclusive para pacientes do chamado grupo de risco, ou seja, obesos, hipertensos e diabéticos. 

Na coluna desta semana, Cauê Marques entrevistou dois profissionais que explicam a importância de pessoas do grupo de risco praticarem atividade física no cotidiano. 

O primeiro entrevistado é o médico do esporte e nutrólogo, Nicolas Conti. “Podemos ter certeza de que a atividade física está ligada à nossa saúde em amplo aspecto”, explica Conti. 

Segundo o médico, mesmo durante a pandemia, as pessoas inseridas no grupo de risco não podem deixar de praticar atividades físicas, porém, sempre com segurança. “A atividade física é um dos pilares da nossa imunidade. Agora é a hora do equilíbrio”, indica.

Confira a entrevista completa com Nicolas Conti:

blob:https://correiodoestado.com.br/54473b5d-91e9-472e-8893-8e1db6bfef94
Saúde em Alta Performance – com o entrevistado DR. Nicolas Contis – Reprodução Estúdio Correio do Estado – Edição Denis Felipe

A personal trainer, Ana Kamila Reis tem procurado alternativas para manter os alunos inseridos no grupo de risco engajados na prática da atividade física durante a pandemia. “A atividade física tem uma importância muito grande na melhora da qualidade de vida e na melhora do sistema imunológico. As academias fecharam por um tempo e a população ficou em suas casas, sendo que muitos pararam complemente as atividades físicas”, explica.

O jeito foi investir nas lives e orientações on-line. “Para que esses alunos que estão em casa façam atividades físicas, de forma moderada, claro, para não ter o risco de lesionar. Muitos são do grupo de risco, ou seja, idosas, com sobrepeso algum problema cardiorrespiratório, que demanda uma atenção maior, ainda mais neste período que estamos vivendo, para não agravar a própria doença” frisa. 

Confira a entrevista completa com Ana Kamila:

blob:https://correiodoestado.com.br/82e9dfc6-8a89-4e42-93b2-a273aecaad79
Saúde em alta performance com a entrevistada Ana Kamila – Reprodução Estúdio Correio do Estado – Edição Denis Felipe

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Facebook