Covidão: PF faz buscas na casa do governador do Amazonas em operação contra corrupção

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

Agentes da Polícia Federal deflagraram na manhã desta terça-feira (30), em Manaus, a Operação Sangria contra fraude e desvios na compra emergencial de respiradores para pacientes de covid-19. A PF investiga possíveis práticas de crimes de organização criminosa, corrupção, fraude a licitação e desvio de recursos públicos federais. Se condenados, os acusados poderão ser condenados até a 30 anos de reclusão.

Os policiais federais estão neste momento na sede do governo do Amazonas, no bairro Compensa, e na casa do governador Wilson Lima (PSC), no Conjunto Vila Rica, cumprindo mandados de busca e apreensão.

A ação da Polícia Federal visa a cumprir mandados judiciais expedidos pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), sendo 20 mandados de busca e apreensão e oito de prisão temporária, e conta com a cooperação do Ministério Público Federal (MPF), da Controladoria Geral da União (CGU) e da Receita Federal do Brasil (RFB).

Assembleia do Amazonas aprova pedido de intervenção federal na Saúde

Também são alvos empresários da área da saúde e funcionários do governo estadual. Wilson Lima é acusado em inúmeras denúncias de corrupção, incluindo a compra milionária de respiradores em uma loja de vinhos.

Os ventiladores mecânicos hospitalares entregues ao Estado do Amazonas, pela empresa de vinhos, não possuíam as especificidades técnicas necessárias para a adequada utilização no tratamento médico.

Além disso, foi detectado o superfaturamento do preço do equipamento. Laudo pericial produzido pela PF no inquérito, constatou que, se considerado o valor máximo de mercado dos equipamentos, o sobrepreço praticado em cada unidade dos ventiladores mecânicos adquiridos corresponderia a R$60.800,71, ou seja, 133,67% a mais em relação ao valor de mercado, totalizando a quantia de pelo menos R$1.702.419,88, até R$2.198.419,88, sob suspeita de desvio.

A investigação policial também identificou que a verba pública federal transferida à empresa contratada foi, em seguida, remetido a uma conta bancária no exterior, pertencente a uma outra pessoa jurídica, aparentemente de fachada, havendo indícios de possível prática de crime de lavagem de dinheiro.

A Polícia Federal (PF) está, na manhã desta terça-feira (30), na sede do governo do Amazonas, no bairro Compensa, zona oeste da capital, e na casa do governador Wilson Lima, no Conjunto Vila Rica, cumprindo mandados de busca e apreensão oriundos da operação “Sangria’, que investiga fatos relacionados a possíveis práticas de crimes, como pertencimento a organização criminosa, corrupção, fraude a licitação e desvio de recursos públicos federais.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Recentes no Site

Prefeitura de Campo Grande