Conecte-se conosco
PUBLICIDADE

Economia

Economia de Dourados resiste à pandemia e abre mais de mil novas empresas

Publicado

em

Nos últimos três meses foram abertas 1.091 empresas no município

Um relatório da Secretaria Municipal de Planejamento da Prefeitura de Dourados apresentado nesta segunda-feira (22) mostra que apesar do surto de coronavírus, a economia local continua com vitalidade.  No período de março a junho, foram abertas 1.091 empresas na segunda maior cidade de Mato Grosso do Sul, conforme revelou a secretária de Planejamento Adriana Benícío.

Deste total, 345 são empresas de MEI (micro empreendedores individuais) e as demais são 746 micro empresas (ME) ou empresas de pequeno porte (EPP).Neste período de pandemia de Covid-19, o relatório da Secretaria de Planejamento também aponta que  405 empresas fecharam suas portas, sendo apenas cinco MEI, restando um saldo positivo de 686 empresas.

Adriana afirma ainda que durante a pandemia, 1.290 empresas deram entrada na Secretaria com processos em busca da viabilidade de instalação de novos empreendimentos.

A advogada Patrícia Donzelli, secretária interina de Desenvolvimento Econômico, afirmou que a política adotada pela prefeita Délia Razuk no incentivo ao comércio e à economia, com a manutenção do comércio aberto mesmo em tempos de pandemia, aliada à preservação de vidas, deu certo.

A prefeita Délia Razuk afirmou que Dourados é uma cidade que tem vida própria e com a abertura de mais de mil empresas neste período demonstra que está no caminho certo, apoiando a atividade econômica e cuidando da saúde das pessoas. Délia lembrou que a prefeitura dispõe de vasta legislação que incentiva novos empreendimentos em Dourados.

Délia citou o Plano de Desenvolvimento Economia (PDE), criado com o objetivo de promover o desenvolvimento econômico, industrial, social, turístico, de serviços, comercial e tecnológico do Município, com foco no aumento da contratação de mão de obra local.

O PDE, criado pela Lei nº 3.532, de 13 de fevereiro de 2012, poderá, para instalação, modernização e ampliação de empreendimentos industriais, comerciais ou de prestação de serviços, conceder os seguintes incentivos: doação de imóvel para empresa interessada em instalar-se no município, ampliar instalações já existentes ou relocalizar-se para proporcionar aumento de produção e de atividades; permissão de uso de pavilhões industriais de propriedade do Município, pelo prazo de até três anos prorrogáveis por igual período; e isenção ou redução do ISSQN (Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza) decorrentes de obras de construção ou ampliação.

O PDE também garante a isenção do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) incidente sobre o imóvel onde funcionar a empresa incentivada; e ainda a isenção de taxas e/ou emolumentos inerentes ao projeto de construção, alvará e habite-se, somente quando se tratar de micro e pequenas empresas e aquelas integrantes de sistemas de condomínios, associações, incubadoras e cooperativas.

Fonte: midiamax

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Facebook