Japão vê disseminação inédita da covid-19 e recorde de casos em Tóquio

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

Capital registrou hoje (4) recorde de infectados com 4.166 novos casos

O Japão alertou nesta quarta-feira (4) que as infecções pelo novo coronavírus estão disparando em um ritmo inédito, e os casos novos atingiram uma alta recorde em Tóquio, ofuscando a Olimpíada e aumentando as dúvidas sobre como o governo lida com a pandemia.

A variante Delta está levando a uma proliferação de infecções “nunca vista no passado”, disse o ministro da Saúde, Norihisa Tamura, ao defender a nova diretriz de pedir aos pacientes com sintomas mais brandos que fiquem em casa, ao invés de irem ao hospital.

“A pandemia entra em uma nova fase… a menos que tenhamos leitos suficientes, não podemos levar as pessoas ao hospital. Estamos agindo preventivamente nesta frente”, disse Tamura ao Parlamento.

Mas ele sinalizou a possibilidade de reverter a diretriz, já que a decisão de pedir que alguns doentes fiquem em casa gera críticas de especialistas médicos por colocar vidas em risco.

“Se as coisas não saírem como esperamos, podemos revogar a diretriz”, disse Tamura, acrescentando que a mudança de diretriz foi realizada para se lidar com a disseminação inesperadamente rápida da nova variante.

O Japão testemunha um crescimento acentuado de casos de covid-19. Tóquio relatou um recorde de 4.166 casos novos nesta quarta-feira (4).

Na segunda-feira (2), o primeiro-ministro Yoshihide Suga disse que só pacientes de covid-19 gravemente doentes e correndo risco de agravamento serão hospitalizados, enquanto os outros se isolarão em casa – uma mudança de diretriz que alguns temem poder elevar o número de mortos.

Autoridades do governista Partido Liberal Democrata concordaram em buscar a revogação da diretriz, relatou a agência de notícias Jiji nesta quarta-feira (4), um eco de apelos semelhantes de parlamentares da oposição.

A revolta é mais um contratempo para Suga, que vê o apoio a si despencar por causa da forma como lida com a pandemia antes das eleições gerais deste ano.

Pesquisas mostram que muitos japoneses se opõem à realização da Olimpíada enquanto o país patina nos esforços para conter a pandemia e vacinar a população.

O premiê e os organizadores olímpicos dizem não haver relação entre os Jogos de Verão de 23 de julho a 8 de agosto e o aumento acentuado de casos.

Mas Shigeru Omi, um dos principais conselheiros médicos do país, disse ao Parlamento que sediar os Jogos pode ter afetado o sentimento público e prejudicado o impacto dos pedidos do governo para que as pessoas fiquem em casa.

Impor um estado de emergência de âmbito nacional poderia ser uma opção para se lidar com a pandemia, disse ele. Tal medida já vigora em vários municípios, além de Tóquio.

Fonte:https://agenciabrasil.ebc.com.br

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Recentes no Site

Prefeitura de Campo Grande