Lei prevê assistentes sociais e psicólogos no ensino básico de Belém

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

As escolas públicas municipais de educação básica de Belém terão a atuação de assistentes sociais e psicólogos. Um grupo de trabalho foi formado para implementar a lei nacional, aprovada em 2019, que prevê a inclusão destes profissionais nas escolas. Uma reunião virtual realizada na sexta-feira (29) começou a encaminhar o cumprimento da Lei 13.935/2019, que regulamenta o tema.

O encontro on-line reuniu representantes da Secretaria Municipal de Educação (Semec), do Conselho Regional de Psicologia (CRP), do Conselho Regional de Serviço Social (Cress) e do Conselho Federal de Serviço Social (Cfess). A Lei 13.935/2019 reconhece a imprescindibilidade dos serviços de psicólogos e assistentes sociais no processo de ensino-aprendizagem e as significativas contribuições desses profissionais no aprimoramento da educação básica das redes públicas no país.

“Trata-se de uma luta de 20 anos”, destaca Eunice Guedes, integrante do CRP e professora Faculdade de Psicologia da Universidade federal do Pará (UFPA). “As presenças destes profissionais são importantíssimas. A realidade do aluno inclui relações familiares conflituosas, situações de abuso, violência doméstica, violência psicológica – que é muito mais frequente do que a gente imagina – , violências institucionais pela cor da pele ou por ser morador da periferia, que muitas vezes tem que se submeter a ver situações de violência no vizinho, inclusive pelos agentes da lei. Todas essas situações impactam a vida dos estudantes e também a vida dos professores que convivem com essas situações de tensão e não têm espaço para colocar suas demandas e adoecimentos psíquicos decorrentes desse cotidiano profissional”, destaca Eunice.

Participaram da reunião pelo CRP o vice-presidente, Antonino Alves, os conselheiros Eunice Guedes e Valber Sampaio, a coordenadora técnica Nara de Bastiane e a assessora jurídica Natalia Cardoso. O professor de psicologia Luís Carlos, da Universidade Federal do Pará (UFPA), também esteve na reunião. Pelo Cfess participou a vice-presidente, Maria Rocha. Pelo Cress, a presidente, Olga Tabaranã, as conselheiras Glenda Oliveira e Maria José Torres e o assessor jurídico Gabriel Rodrigues. E pela Semec, além de Camila Malcher, o assessor jurídico Leonidas Barros.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Recentes no Site

Prefeitura de Campo Grande