Sem milagres e radicalismos: como reforçar a imunidade por meio da alimentação?

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

Em tempo de pandemia, veja como ter a alimentação correta para reforçar o sistema imunológico, e não enfraquecê-lo

Em tempos de pandemia de Covid-19 e muita incerteza sobre tratamentos para a doença, e também de uma série de medidas restritivas, de isolamento social e de cuidados ao se exercitar e se alimentar fora de casa, uma dúvida – entre muitas – prevalece: o que fazer para aumentar a imunidade?

Para dar dicas de como melhorar a imunidade e deixar o corpo mais resistente a  infecções o Correio do Estado convidou o nutricionista Fernando del Pino e o profissional de educação física Júlio Enciso. A mais preciosa delas é de que não é o tempo para se buscar dietas milagrosas ou radicais, que mudam completamente o cotidiano da alimentação: isso pode prejudicar.

Básico

Conforme o nutricionista Júlio del Pino, o momento é de uma alimentação diversificada na qual as frutas e as verduras devem estar sempre presentes. Quando estes vegetais são adicionados à alimentação com os macronutrientes, como os carboidratos e as gorduras, eles reforçam a síntese dos micronutrientes, como por exemplo a vitamina e alguns minerais essenciais.  

E é justamente por causa da manutenção deste equilíbrio que não é o momento de se realizar dietas restritivas, em que o objetivo é a rápida perda de peso. “Isso acaba tirando a força do sistema imunológico”, ressalta del Pino.

Suplementação?

Por isso, para quem tem deficiência de vitaminas como a C e a D, muito procuradas – e receitadas – em tratamentos preventivos e profiláticos da Covid-19, a dica é buscar a suplementação. O mesmo vale para o zinco, outro mineral importante. “Eles são como um bombeiro, que precisa chegar rapidamente para apagar um incêndio”, explica o nutricionista, demonstrando a síntese destes micronutrientes por meio da alimentação diária é mais lenta. 

Sem extremismos

Já Júlio Enciso, que é profissional de educação física e personal trainer, e está a  caminho de formar-se em nutrição, compartilha da tese de que não é a hora de se buscar  milagres. “Sem extremismo!”, alerta.  

“É a hora de comer comida de verdade. Não estamos no momento de cortar tudo o que existe. Temos de manter legumes, frutas e verduras durante o dia” lembra.  

Enciso ressalta que tudo isso é importante, desde que venha acompanhado da atividade física, e o tratamento deve ser individualizado, pois cada organismo tem uma realidade. “Busque um profissional que lhe transmita confiança” reforça.

Fonte: https://correiodoestado.com.br

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Recentes no Site

Prefeitura de Campo Grande