Terceira onda da covid-19 já é realidade em MS, alerta Secretaria de Saúde

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

No sábado e domingo, foram 82 mortes confirmadas pela doença e um caso novo a cada minuto

Secretário de Saúde, Geraldo Resende, durante evento sobre 1 milhão de vacinas aplicadas (Foto: Henrique Kawaminami) – CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS

Os números estão aí para esfregar na cara do sul-mato-grossense que a terceira onda da covid-19 nos alcançou. A nomenclatura, que já vinha sendo questionada sobre quando chegaria às autoridades, hoje é realidade no Estado, depois que o último boletim divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde anunciou um caso de covid por minuto em Mato Grosso do Sul.

“Já está presente no Brasil a chamada terceira onda ou que alguns chamam de recrudescimento das ondas iniciais e mostra que a doença está muito forte. Estamos com 1,6 mil casos por dia no Estado, internações hospitalares no auge e, infelizmente, a população mais uma vez achando que está tudo normal”, declara o secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende.

Em entrevista hoje, após a divulgação do boletim das últimas 24h, o secretário reforça que não é que ele queira ser alarmista, mas que Mato Grosso do Sul viverá dias terríveis. “As pessoas estão com práticas que fogem, de longe, da racionalidade. Estão aglomerando, fazendo festa. Tudo o que o vírus gosta. O quadro é aterrorizante, sem querer ser alarmista, mas vamos ter muitas perdas, perdas de pessoas”, frisa.

Médico na linha de frente no combate à covid e presidente do Sinmed/MS (Sindicato dos Médicos de Mato Grosso do Sul), Marcelo Santana Silveira, também é enfático ao afirmar que a terceira onda já chegou.

“Se trata de uma nomenclatura para a gente entender o que está dentro de um processo vira. Quando as pessoas falam em terceira onda, eu digo que no meu ponto de vista, já estamos nela”, explica.

Marcelo Santana descreve que a terceira onda está bem clara até pelo número de casos. “Estamos vivendo uma fase de alto número de pessoas contaminas, que também é um reflexo das festividades de maio”, se refere Marcelo às reuniões familiares do domingo de Dia das Mães.

Além das festividades, o médico também percebe que em todo País as pessoas estão cada vez menos cumprindo o isolamento. Item sempre reforçado como fundamental para conter a disseminação do coronavírus. “O que a gente precisa é de distanciamento social responsável, que não significa parar de fazer as suas atividades, mas usar máscara, manter o distanciamento das pessoas, fazer a higienização de mãos. Assim a gente consegue manter a vida com responsabilidade, sabendo que continuamos passando por um período de pandemia”, pontua.

Ao contrário do que é pregado há um ano pelos especialistas, o presidente do Sinmed diz que vê diariamente festas e aglomerações reunindo pessoas sem qualquer distanciamento ou medidas de biossegurança.

“Enquanto isso estiver ocorrendo e não tivermos a maior parte da população vacinada, a gente vai ter problema e não vai parar, vamos chegar em outras ondas, na quarta, na quinta”, afirma o secretário.

A previsão anunciada pela Secretaria Estadual de Saúde é de imunizar 80% da população do Estado até o mês de setembro. Considerando esta estimativa, o médico enxerga uma luz no fim do túnel que precisa ser vista por todos.

“Acreditamos que seja possível de acontecer essa imunização de 80% até porque a população do nosso estado não é tão grande, o que torna mais palpável essa imunização. A gente pede agora é um pouco mais da paciência das pessoas. Estão vendo os Estados Unidos? Já tirando a máscara, permitindo aproximações. A gente tem uma luz no fim do túnel com a vacina, só precisamos ter um pouco mais de calma e paciência agora”, resume.

Fonte: https://www.campograndenews.com.br/

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Recentes no Site

Prefeitura de Campo Grande