Toque de recolher em todo o estado começa na segunda-feira

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

Com mais da metade dos municípios na faixa de alto risco de contágio da Covid-19, Mato Grosso do Sul inicia toque de recolher em todo o Estado a partir desta segunda-feira (14). A restrição de circulação vale para o período das 22h às 5h. O prazo de vigência é de 15 dias e poderá ser prorrogado.

O presidente da Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul), Pedro Caravina, aprovou a decisão do governador Reinaldo Azambuja. “Eu entendo que o governador assumiu a responsabilidade diante do aumento dos casos e considerando principalmente a ocupação dos leitos. Percebemos um afrouxamento por parte da população. Houve uma responsabilidade das eleições nesse aumento de casos, a Assomasul já havia antecipado isso, mas foi uma decisão nacional de manter o pleito.”, disse Caravina.

Ele ressaltou que é a fiscalização, as orientações do Prosseguir (Programa de Saúde e Segurança da Economia) e as medidas do poder público são importantes para conter o avanço da pandemia e devem ser seguidas pelos prefeitos, mas que mais importante ainda é a conscientização da população. As pessoas devem evitar aglomerações, manter o uso máscaras de proteção e reforçar os hábitos de higiene.

Assinado pelo governador Reinaldo Azambuja e pelo secretário Geraldo Resende (Saúde), o Decreto nº 15.559 libera a circulação de pessoas no horário entre 22h e 5h apenas para os serviços essenciais, em razão de trabalho, como dos serviços de delivery, emergência médica ou urgência inadiável. 

A publicação leva em consideração as recomendações do Comitê Gestor do Prosseguir, em um esforço para evitar a proliferação do coronavírus (SARS-CoV-2). Mais da metade (56,96%) dos municípios sul-mato-grossenses passaram para a faixa vermelha na última semana, o que significa um alto risco de contágio.

“Estamos no limite de ocupação dos leitos em todo o Mato Grosso do Sul. Se não adotássemos essa medida neste momento poderíamos explodir a capacidade do Sistema Único de Saúde (SUS). Como a cada dia que passa mais pessoas estão sendo contaminadas, tivemos que pisar no freio para não faltar leitos. Tivemos que tomar essa atitude para evitar mais mortes”, afirmou Reinaldo Azambuja.

A fiscalização do toque de recolher será feita pela Polícia Militar, Corpo de Bombeiros Militar, Vigilância Sanitária Estadual e Municipais e Guardas Municipais. 

Paulo Fernandes, Subcom

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Recentes no Site

Prefeitura de Campo Grande